terça-feira, 6 de julho de 2010

A Copa da Disney segundo Freud


Sem a menor sombra de dúvidas esta Copa era um verdadeiro conto, o problema é que nesta fábula de nada adiantou rezar pelo toque milagroso da varinha de condão de todas as fadas - incluindo a dos dentes, já que em muitas culturas estes ossinhos trazem sorte - o final não foi o tão sonhado Hexa.

Mas a psicologia explica perfeitamente o que aconteceu: devido o stress, nosso técnico sofria de múltiplas personalidades.
Sim, porque nos últimos meses, Dunga foi praticamente todos os anões da famosa história infantil.
O distúrbio teve início na fase da convocação, Dunga era o Mestre!
Achava-se o todo poderoso movido pela razão, não dava ouvidos a ninguém.
Depois de tanto bulling que sofreu da imprensa (ó coitadinho) desenvolveu uma alergia psicossomática e numa mistura de Dengoso e Atchim ficou Zangado e proibiu que filmassem os treinos e suas táticas ultra-secretas.
Acho que ele esqueceu que nossa melhor arma sempre foi a alegria e não aquele futebol previsível e sem saída.
Ele olha pro banco de reservas e qual a surpresa?
Não tem surpresa! Temos de prato principal o mesmo que foi servido na entrada.
No final tudo o que Dunga queria era ser Feliz e tirar aquela Soneca tranqüila que ele mesmo sabotou com esta “revolucionária” convocação.
Para o telespectador, pro cidadão que ficou compensando horas de trabalho pra poder folgar nos dias dos jogos e beber aquela cervejinha gelada, soprando alucinadamente suas cornetas e vuvuzelas, nem tudo está perdido.
Poupe suas energias que este título será conquistado dentro de casa.
Afinal, somos brasileiros e não desistimos NUNCA! 

2 comentários:

  1. agora entendi o almoço psicossomático! hahahaha

    ResponderExcluir
  2. eu sou cheia de segundas intenções né?! hehehe

    ResponderExcluir

Olá,
Obrigada por sua visita, antes de concluir seu comentário verifique se o formulário foi preenchido corretamente.